Grind In The Cave

15972338_1641602975853716_1252005392218348425_o

Adivinhava-se uma sexta-feira de festa a sério pela noite dentro, com lotação limitada para tentar conter a decadência saudável que iria descer à cave do Stairway Club para uma noite de grindcore.

No entanto, o sítio ainda estava a meio gás, com a crowd ainda demasiado agarrada ao bar, quando os chilenos Blaxem entraram com um thrash rápido e heavy, que nada faria adivinhar o resto da noite. Cheio de influências misturadas, a voz num gutural arranhado e os músicos super compenetrados faziam as músicas resultar em passagens de thrash para heavy para death para solos e quebras bem conseguidas no meio. Para uma banda jovem, certamente rejuvenesceram a esperança de uma nova geração de músicos que consegue apanhar tanto do bom que já se fez e inventar o seu próprio som, homenageando clássicos mas criando algo original. Mas as pessoas continuavam com medo de se aproximarem da pista e, apesar dos aplausos efusivos, pouca gente entrou na dinâmica, sem serem membros das bandas francesas (a quem Blaxem agradeceram pela amizade), que se divertiam em frente ao palco a fazer flexões e movimentos aeróbicos. A surpresa terá sido o baterista que demonstrou um grande poder e ritmo. Saíram rapidamente assim que terminaram, de cara de poucos amigos, deixando a sensação que estavam à espera de uma recepção mais séria ou mais efusiva.

Ass Deep Tongued (AxDxT) entraram a seguir e sentiu-se quão deslocados estavam os Blaxem, por comparação. Subiram ao palco vestidos normalmente, de preto, com máscaras BDSM negras e interpretaram uma coreografia saída de uma banda Kpop ou algo parecido, com música extremamente pop e auto-tune, ainda por cima em francês. Com bracinhos no ar e demonstrações de amor entre os membros, vêm ao público interagir como em pleno concerto Bieberesco, tirando selfies e batendo nas mãos do pessoal que se dividia entre gargalhadas, olhares confusos e ódio pelo mundo. Voltaram então ao palco, corta a música demoníaca, e começaram a distribuir a brutalidade da banda de apenas 3 membros. O pornogrind destes meninos traduzia-se em pequenas introduções pop homoeróticas, com direito a representações de discussões e abraços sentidos, seguidas de música pesada algo descoordenada e muito crua, num contraste interessante e divertido, mas que não passou disso e que só resultava bem regado a álcool. Ainda houve direito a gente demasiado excitada que teve de ser separada, talvez numa demonstração mal pensada de erotismo homossexual que é, como quem diz, mosh mal feito.

Os franceses Burp apareceram com o vocalista vestido de Popota, com um gorro de cabeça de hipopótamo e um tutu cor-de-rosa, enquanto os outros membros tinham chapéus ou tranças também muito bem escolhidos. A música de fundo que entrou foi um daqueles hits pop que passam na rádio e o público preparava-se já para mais um momento à AxDxT, com interlúdios de humilhação alheia, quando rapidamente desenganaram quem já esperava algo do mesmo género. Esta banda sabia tocar, músicas curtas brutais que finalmente puseram o público a mexer, com meninas aos gritos, semi mosh dançante e muito headbang. Lá se arrastaram os colados ao bar, motivados por um grind mais puro e pesado da banda mais recente do cartaz. Sem dúvida menos preocupados com a apresentação do que com o que transmitiam, não houve mais momentos pop e o vocalista deixou de lado a Popota para poder entregar-se à vontade à música, algo que não passou despercebido entre os presentes, que acompanharam a banda num momento finalmente muito mais grind.

Serrabulho eram claramente a banda mais esperada, com a maioria das pessoas que ainda fumavam à entrada do Stairway a entrar para os ver. Como explicar sem ser que conseguem ir buscar as coisas mais parvas e fazê-lo funcionar? Entre pedaços de Star Whores e Sweet grind of mine com blastbeats, passando por Lady Gaga, ainda acompanhados pelo cavaquinho obrigatório, nada falha ali. São bons músicos que sabem, de facto, parvejar com a música sem que esta perca brutalidade ou coerência. Mais uma vez conseguiram uma grande interacção com o público, que acompanhava a banda num misto de abanar de cabeça, danças folclóricas e berros e tudo o que apetecesse fazer. O chão já fazia aquaplanagem de cerveja e com isto uma fã foi ao chão e abriu a testa. Improvisou-se uns primeiros socorros no WC feminino enquanto a banda continuava, mas foi mesmo preciso chamar uma ambulância que prestou os cuidados necessários. Um concerto digno, portanto, que acabou com o vocalista a chamar as pessoas ao palco para lhes poder dar com uma almofada em cima, espalhando no chão o algodão que pelo menos serviu para ensopar um bocado o líquido.

Aparentemente esperar pelas últimas bandas já não é algo que se faça, e infelizmente Excrementory Grindfuckers subiram ao palco com menos gente que Serrabulho. No entanto, os poucos que ficaram fizeram a festa e a pista era já uma confusão de gente bêbeda sem dignidade – como se quer, obviamente. Esta foi a banda mais antiga do cartaz e cumpriram o que prometeram: não fazer esforço nenhum. Sempre a falar alemão entre as músicas, o que fez algumas pessoas reclamarem, sem qualquer adereço ou atenção ao que faziam, mostraram apenas uma atitude de não quererem realmente saber ou ir de encontro às expectativas de ninguém. A música no entanto não falhou e no final ainda se despediram apropriadamente com um Final Grindown.

O que ficou a faltar foi sem dúvida mais público e um pouco mais de interacção. Falou-se de pouca divulgação deste evento que, no fundo, foi uma réplica mais a Sul do Warm-up Xxxicken Party, e uma boa oportunidade para quem não se pode deslocar tanto a Norte. No entanto, a festa fez-se na mesma, sempre bem regada e bem dançada por quem fez questão de aparecer e participar.

Texto : Inês Torga

Advertisements
This entry was posted in Reportagens and tagged , , , , , , , . Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s