Uma Noctem de Emerging Chaos e Hate que My Master The Sun no RCA Club

my-master-the-sun-11

À hora marcada na passada noite fria de 29 de Novembro, My Master The Sun soaram com o embalo do seu sludge / doom psicadélico que prendeu o pouco público que  marcava presença na sala do RCA Club. Ricardo Falé dá voz à revolta, uma revolta danada com ganas de mover, de fazer mexer. “”, “Quando a Morte Chegar”, “Uno”, “TV” e “Assassímio” foram os temas que nos ofereceram, na sua actuação intensa e sentida.

emerging-chaos-17

Emerging Chaos surgem  pouco depois com o seu thrash death metal rasgado, com as músicas: “The Truth”, “The Decay”, “Infected”, “Shot Gun Blast”, “Naked”, “Captain Of Lunacy”, “Rest In Hell” e “Tomorrow” pela fantástica voz camaleónica de Jim Gäddnäs. A banda não deixou o público indiferente e quem não conhecia apaixonou-se pela atuação do quarteto do Barreiro.

noctem-20

Uma das bandas mais esperadas da noite era sem dúvida Noctem, foi aqui que a casa se compôs, e foi neste momento que a verdadeira pancada nas orelhas começou. Estes espanhóis são verdadeiros entertainers, seja na postura, na forma intensa como vivem o seu trabalho, e na inesquecível forma de alimentar o público e levá-lo a participar. Beleth é um vocalista teatral extremamente expressivo, tal como é extremo o death metal que tocam. “Pactum With The Indamitable Darkness”, “”Eidolon”, “Cycles of Tyranny”, “The Submission Discipline”, “Apsu Dethroned”, “The Dark One”, “Invictus”, “Throught The Black Temples Of Desaster” e por fim”Divine Xib’alb’a” foram os temas que deram a atmosfera certa, com um requinte a maleficência insana.

hate-13

O fim da noite veio com os polacos Hate, os cabeças de cartaz, tocaram: “Burning Gehenna”, “Erebos”, “Hearts Of Steel”, “Festival Of Slaves”, “Sea Of Rubble”, “Alchemy Of Blood”, “Omega”, “Valley Of Darkness”, “Hex”, “Wrists” e um fantástico encore de duas músicas com “Leviathan” e ”Threnody”. Hate mostrou  como o seu black death metal é hostil, poderoso e eufóricamente brutal.

Foi para os amantes do género, sem dúvida, uma noite a não esquecer!

Texto: Andreia Vidal

Advertisements
This entry was posted in Reportagens and tagged , , , , , . Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s