Review – She’s Gonna Blow

14060047_1150576038319121_734071494_o.png.jpeg

Antes de começar a falar dos She’s Gonna Blow e do seu homonino EP, deixem que vos diga que tenho muitas reticencias em fazer reviews, até porque é o trabalho e o sonho de alguém e nós não somos ninguém para destruir o que tanto trabalho dá a fazer. Na realidade os gostos são muito, senão bastante relativos pelo que o para mim pode ser muito bom ou muito mau, para ti que me lês pode ser exactamente o inverso. Precisava de deixar isto acente antes de mais nada, porque esta é a minha primeira review para a Loudness, posto isto vamos então ao EP de She Gonna Blow.

O que procuro eu num artista e no seu trabalho quando o ouço? A vontade de o colocar em repeat e um sorriso no rosto e no caso deste EP, isso acontece logo no primeiro tema “Dumb Ways” a harmonia entre instrumentos é sentida logo no inicio. Certo que pouco ou nada se reinventa hoje em dia e o primeiro tema me faz lembrar o bom rock de antigamente mas a frescura que esta inserida na música é bastante recente… um bom tema de abertura para trazer de certeza quem assiste ao espectaculo ao vivo para perto do palco.

Gosto de todo o álbum, da forma como a voz nos faz parar o que estamos a fazer para ouvir com atenção o que nos esta a dizer e aprecio bastante a variação que sentimos entre cada frase e cada riff de guitarra ou som de bateria e sentimos isso com bastante intensidade no tema “Final Quest”. Ao contrário de ser um metal agressivo, que se tornou um pouco usual hoje em dia, os She’s Gonna Blow são involventes, damos por nós a bater o pé ao som da música mesmo quando a ouvimos pela primeira vez.

Os efeitos do inicio da 6ª música do EP, “The Void” fazem com que fechemos os olhos apenas para admirar o som com que nos atacam os sentidos, para mim numa palavra? Fabulosa! Um presente neste EP para quem aprecia musica na sua essência.

Como posso classificar o EP no conjunto? Posso dizer que pagaria com agrado para os assistir ao vivo e que para minha primeira review elevaram e bastante a fascia.

Eu já tenho o EP na playlist do IPOD para banda sonora com direito a ser tocada pelo menos uma vez ao dia, sugiro que façam o mesmo nem que seja para verem se tenho ou não razão!

Eu confesso que fiquei fã.

Texto: Paula Marques

Advertisements
This entry was posted in Criticas & Reviews and tagged , . Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s