Entrevista Revolution Within

13010895_1313511015342691_8379392079445223804_n1 – Terceiro longa duração e até com uma caixa/box de coleccionador para “colocarmos” os três álbuns em grande destaque nas nossas colecções. Como nasceu toda a ideologia deste álbum? E como foram construindo o mesmo?

– Bom, toda a ideologia deste álbum realmente é uma continuidade lógica dos discos anteriores, um ambiente de caos, destruição que também combina com o tipo de som que gostamos de fazer, fomos construindo este novo disco no final de 2014 e estamos muito satisfeitos com o resultado final.

2 – Como poderão descrever o som que praticam e quais as vossas influências, os vossos pilares fundamentais para crescerem como músicos?

– O som que praticamos é uma fusão de alguns estilos tendo como base o Thrash Metal, descrevemos isto como som cheio de energia principalmente ao vivo quando juntamos forças com o pessoal que esta assistir, cada um de nos tem as suas influências muitas delas coincidem outras não, dai penso que estará o segredo do nosso som, não vou citar nomes porque estaríamos aqui todo o dia (risos).

3 – Revolution Within tem vindo ano após ano a evoluir e a tornarem-se bases fundamentais na “cena” do metal nacional. Como se sentem enquanto banda, como tem sido o vosso caminho, a vossa luta para deixarem bem marcado o vosso nome na história do Metal?

– Penso que ao longo destes 11 anos de banda nunca deixamos de trabalhar, mal tiramos férias da banda (risos), quando trabalhas sem parar a evolução é natural, também o tempo dá-te experiência e obviamente vamos aprendendo com os erros, se vamos deixar o nosso nome na história do metal isso depois vê-se, o que interessa é sentir-se bem com a banda que tens.

4 – “Annihilation” remete-nos para o caos, à aniquilação em forma raivosa, bases proeminentes de um bom thrash metal. De onde surgiu o nome do, qual a mensagem e os valores a transmitir através deste trabalho?

– Acaba por ser um reflexo da sociedade, dos valores perdidos, mas a mensagem que queremos passar é de libertar energia negativa, o nome lembro que surgiu com mais facilidade que os títulos dos trabalhos anteriores e traduz claramente o que se passa quando pões o disco a rodar.

5 – Expliquem-nos o processo desde a origem da inspiração, a produção, conclusão, até à saída para os pontos de venda do presente trabalho.

– A inspiração vem de os nossos próprios estados de espírito do nosso dia-a-dia, tentamos colocar todos esses sentimentos tanto na letra como no instrumental, fizemos uma boa pré-produção e quando chegamos ao estúdio tínhamos bem a ideia de como ia soar o disco, embora depois de gravado superou as nossas expectativas.

7 – Em relação ao “Annihilation“, quem fez o quê? Quem tratou do som, das letras e de todas as ideias e ambiências de forma a transmitir a mensagem pretendida?

– As músicas são feitas pela banda, obviamente as ideias partem sempre de alguém e depois tem a sua evolução na sala de ensaios.

8 – Consideram que hoje em dia ainda persiste a desconsideração que muitos tinham pelas bandas portuguesas apenas e só por serem de Portugal (um país desvalorizado em várias esferas), ou trata-se já de um estereótipo ultrapassado e sentem que são bem recebidos e aclamados nos quatro cantos do mundo?

– Penso que já se quebrou muitas barreiras que tínhamos a 20 anos atrás, as bandas portuguesas são mais reconhecidas, já fez com mais frequência as nossas bandas a tocar la fora e gravar discos com alta qualidade, mesmo assim ainda há muito caminho para percorrer.

9- Revelem-nos os vossos planos futuros, o que podemos esperar dos Revolution Within e o que ainda existe por realizar enquanto músicos?

– Planos? Tocar, tocar e tocar (risos) estamos adorar tocar estas músicas novas e este regresso aos palcos, estamos a tratar de mais datas em Portugal e claro que temos planos para fora, o céu é o limite para a nossa realização como músicos.

10- Descrevam os Revolution Within em uma só palavra!

– Família

11- Alguma mensagem que almejam deixar aos nossos leitores?

– Malta espera-mos estar convosco em breve em alguma das nossas datas, venham fazer parte desta família e para quem já o faz muito obrigado.
Thrash!!!!

13265855_1344298128930646_1214175042166682064_n

Obrigada pela atenção,

Cátia Godinho “Korpvs”

 

Advertisements
This entry was posted in Entrevistas and tagged . Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s