Raio-XIS visita em pormenor Cold Cell

Voltamos as lides da radiologia, tiveram saudades? Desta vez rumamos até à Suiça e trouxemos à “chapa” uma banda de Extreme Metal, os Cold Cell.

Tradução: Olga Martins

Esperamos que gostem. \m/

11187850_737494489703073_480251770461548789_oQuestions answered by aW (drums)

1st What is your musical journey/career?   / Qual o vosso percurso musical?

ColdCell started in 2012 out of the ashes of a (former) symphonic Black Metal band (no name-dropping here…), we released our first album “Generation Abomination” through Gravity Entertainment (at that point: thanks and hugs for the good work and cooperation), we played a couple of gigs, wrote new songs, entered the famous Woodshed Studio of V. Santura in Germany (name-dropping: Dark Fortress, Triptykon) and are now immensely happy that a well-known and well-respected label like Avantgarde Music signed us for the release of our second album “Lowlife”. We did not expect any reactions from any label, so that was by far the best surprise during the last years. And we had a line-up change a few months ago and are now supported by an Icelandic shredder, who offers a new dimension and new possibilities concerning the songwriting. / Os ColdCell nasceram em 2012 das cinzas da (antiga) banda de Black Metal sinfónico (não estamos a citar nomes nem nada….), lançámos o nosso primeiro albúm Generation Abomination através da Gravity Entertainment (aproveito para mandar abraços e agradecer pelo bom trabalho e cooperação), demos dois concertos, escrevemos novas músicas, entrámos no famoso estúdio Woodshed Studio do V. Santura na Alemanha (citar nomes:  Dark Fortress, Triptykon) e estamos imensamente felizes por termos um conhecido e respeitado nome como a Avantgarde Music a assinar connosco e a lançar o nosso segundo álbum Lowlife. Não esperávamos reacções de nenhuma editora, por isso esta foi a melhor surpresa dos últimos anos. Há uns meses passámos por uma alteração no alinhamento e agora somos apoiados pelo triturador islandês, que confere uma nova dimensão e novas possibilidades à escrita de letras.

2nd How do you classify your musical project?   / Como caracterizam o vosso projecto?

Swiss-Icelandic extreme Rock’n’Roll, haha! Of course we are based in Black Metal, but I really don’t care about genres anymore. And I don’t want to classify our new album as “the best, the hardest, the fastest, the ugliest, the most blablabla..”. On “Lowlife”, we have influences from Southern Rock over Doom up to psychedelic sample-stuff and bombastic choirs… just listen to it and make your own image of ColdCell. Of course it is still Metal, of course it is still (and always will be) extreme in a way, but that’s only a part of it. The only thing I can assure is that the slow parts are slower and sludgier and the fast parts are more furious and blasting than ever before. Sounds pretty interesting, right? Honestly: It’s hard to classify one’s own work, and I also don’t want to limit the listener’s imagination and approach to ColdCell. / Uma banda suíça/islandesa de Rock’n’Roll radical, haha! Claro que somos basicamente de Black Metal, mas já não ligamos a géneros musicais. E não quero classificar o nosso novo álbum como “o melhor, o mais encorpado ou pesado, o mais rápido, o mais feio, blablabla…”. No albúm Lowlife mostramos influências desde Southern Rock até Doom até cenas psicadélicas e experimentais e coros bombásticos…ouçam-no e façam a vossa própria imagem dos ColdCell. Claro que ainda é Metal e claro que ainda é (e sempre será) de certo modo radical, mas isso é apenas uma parte. A única coisa que eu posso assegurar é que as partes lentas são mais lentas e arrastadas e as partes mais rápidas são mais furiosas e estrondosas do que antes. Soa muito interessante, não soa? Honestamente: É difícil classificar o nosso próprio trabalho e não quero limitar a imaginação dos ouvintes e a sua aproximação aos ColdCell.

3rd What are your music references?   / Referências do mundo da música?

I can only speak for myself: Very various. Everything from Black Metal (raw primitive old school stuff as well as avant-garde and progressive bands), every kind of Rock, atmospheric/ psychedelic stuff, Dubstep, TripHop, Punk, Pop, a bit of Ambient… I save yourself from a list of bands now, that would be endless. Real, authentic and good music does not know any genre limitations. It took some time to realize that, but I have conquered that narrow barrier. / Só posso falar por mim: Muitas e várias. Tudo desde o Black Metal  (cenas cruas e primitivas de bandas da velha guarda assim como bandas avant-garde e progressivas), todo o tipo de Rock, cenas atmosféricas/psicadélicas, Dubstep, TripHop, Punk, Pop, um pouco de Ambient…vou poupar-vos de uma lista de bandas, porque seria interminável. A música verdadeira, boa e autêntica não conhece limitações de géneros musicais. Levou algum tempo para perceber isto, mas já ultrapassei essa barreira.

4th What are your favorite movies/books?   / Quais os teus filmes/livros favoritos?

I am not very much into movies, so I can’t tell you anything profound concerning that aspect of art. I prefer reading books. I am deeply devoted to any kind of literature, from all epochs since the Enlightenment at the end of the 17th century up to modernity, and I find inspiration and fulfilment in lots of genres as well. As “favourite” writers, I could name Franz Kafka, Friedrich Schiller, E.T.A. Hoffmann (!), Umberto Eco, Friedrich Dürrenmatt, James Joyce, Oscar Wilde, Salman Rushdie and Tonke Dragt, just to give you a brief overview. The aspect in which – in my opinion – written literature beats a cinematic transformation is the reader’s personal force of imagination, which can develop, in full shape. Besides that, I try to stay away from all that crap which is sold nowadays under the banner of literature. I mean, people will remember “Faust” from Johann Wolfgang von Goethe in a thousand years, but will anyone remember “Fifty Shades Of Grey”? Hopefully not. Oh, and I am reading the Holy Bible at the moment, that’s no joke. / Não sou muito adepto de filmes, por isso não posso dizer-vos nada de profundo acerca desse tipo de arte. Prefiro livros. Gosto de todos os tipos de literatura, de todas as épocas desde o Iluminismo até ao final do século XVII até à era moderna e encontro inspiração e satisfação em montes de géneros. Os meus escritores “preferidos” são Franz Kafka, Friedrich Schiller, ETA Hoffmann (!), Umberto Eco, Friedrich Dürrenmatt, James Joyce, Oscar Wilde, Salman Rushdie e Tonke Dragt, isto para ser breve. Na minha opinião, o factor em que a literatura consegue bater a transformação cinematográfica é a força imaginativa e pessoal do leitor que pode ser desenvolvida em pleno. Para além disso, tento ficar longe da trampa vendida hoje em dia debaixo da chapéu da literatura. Quero dizer, daqui a mil anos as pessoas irão lembrar-se do Fausto de Johann Wolfgang von Goethe, mas alguém irá lembrar-se das Cinquentas Sombras de Grey? Espero que não. Ah, e neste momento estou a ler a Bíblia Sagrada e isto é mesmo verdade.

5th What do you like most as an artist?   / O que te encanta no mundo enquanto artista?

unnamedThere are not many things in life which are as intimate, personal, fulfilling and emotional as creating music. For me, that is a very spiritual process that comes from the very depth of my heart, and to share this gift with other individuals and to create something outstanding and completely natural is the most precious aspect of being a musician. We have e special combination of individual personalities and mentalities within ColdCell, but we share the same goal and the same values. We are not just a bunch of idiots playing some cool extreme Heavy Metal riffs, there is a lot more behind it. Recording in studios, playing concerts, these are all logical follow-ups of the creative process which is the fundament of everything. And everytime we give birth to a new musical opus, it feels like a manifestation of ourselves. Every record I did so far with ColdCell (and other bands) is completely honest – or was completely honest, a musical photography of ourselves at the time of release. The German band Ascension lately said in an interview that music is always a communication with the Gods, and I can fully affirm that. / Não há muitas coisas na vida que sejam tão intimas, pessoais, plenas e emocionais como criar música. Para mim, é um processo muito espiritual que nasce no fundo do meu coração e para mim partilhar este dom com outras pessoas e criar algo único e completamente natural é o lado mais precioso que tenho enquanto músico. Nos ColdCell temos uma especial combinação de personalidades e mentalidades, mas partilhamos o mesmo objectivo e os mesmos valores. Não somos apenas um grupo de idiotas e tocar riffs de Heavy Metal, há muito mais para além disso. As gravações em estúdio, os concertos, tudo isto é o seguimento lógico do processo criativo que é a base de tudo. E sempre que fazemos nascer uma nova obra musical sentimos  tratar-se de uma manifestação nossa. Cada gravação que faço nos ColdCell (e outras bandas) é  – ou foi completamente honesta, é uma fotografia musical no momento do lançamento. A banda alemã Ascension disse numa entrevista que a música é sempre um diálogo com os Deuses, eu concordo com isso.

6th If your music could change something in the minds of people, what would you like it to be?   / Se a tua música pudesse mudar alguma coisa na mentalidade das pessoas o que gostarias que fosse?

It would be great if people (generalized spoken) would get aware of their lack of (spiritual) awareness, their social isolation, their disgusting shallowness, their complete loss and disinterest in anything that leads their minds to development and evolution, that leads to enlightenment and true inner peace, inner silence. Of course we won’t change anything, but it would be cool if our music had the impact of Ctrl + Alt + Del and format C:, to reset a mind completely and start again from point zero. Our brain is poisoned with needless information, false morals, empty values and stupid anti-human and anti-natural dogmas, so maybe we deserve a second chance to at least try to change something – for ourselves, not globally. / Seria excelente se as pessoas (falando de modo geral) se apercebessem da sua falta de consciência (espiritual), do seu isolamento social, da sua revoltante superficialidade, da sua completa perda e desinteresse por qualquer coisa que guie as suas mentes ao desenvolvimento e evolução, que leve ao seu iluminismo e paz interior, ao seu silêncio interno. Claro que não vamos mudar nada, mas seria porreiro se a nossa música tivesse o impacto de Ctrl + Alt + Del e formato C: limpar a mente por completo e começar do zero novamente. O nosso cérebro está envenenado com informação desnecessária, valores vazios e estúpidos dogmas anti-humanos e anti-naturais, por isso talvez mereçamos uma segunda oportunidade para tentarmos, pelo menos, mudar alguma coisa – para nós, não globalmente.

7th Where would you like to play live?  / Local onde gostarias de tocar ao vivo?

I have no particular places I want to play live – I just want to play live at all. So far, we have one and a half gigs planned this year which obiously is not really a lot, hehe. So if anyone has a serious concert offer for ColdCell, just get in touch. Personally, I would like to play in Italy once (since I am half Italian), but as I heard, that very often ends up in total chaos and disaster. Which could be funny anyway. / Não tenho um local onde gostasse de tocar ao vivo – só quero tocar. Até agora, temos um concerto e meio planeado para este ano que obviamente não é muito, hehe. Assim, se alguém tiver algum concerto a sério para propor aos ColdCell, contacte-nos. Pessoalmente, gostaria de tocar em Itália (visto que sou meio-italiano), mas conforme me constou, costuma terminar em desastre e caos total. O que poderia ser divertido.

8th What are you future projects?   / Quais os vossos projectos para o futuro?

I would limit that question to the musical projects. As mentioned above, ColdCell would like to play as much gigs as possible. And we already started with the songwriting for the next piece of extreme art, with our new guitarist, coming from Punk/ Crust originally, which may cause a few very interesting and refreshing new aspects in inspiration. Since I am not a songwriter at all (I just arrange my drum patterns), I am very curious and tensed myself about the direction ColdCell will take in near and far future.  As for other musical projects, I have another band called Schammasch, maybe you have heard of it before… / Eu limitaria essa questão a projectos musicais. Conforme já mencionei, os ColdCell gostariam de tocar em tantos concertos quantos sejam possível. Também já  começámos com a escrita de material para a nossa próxima obra repleta de arte com o nosso novo guitarrista que, vindo originalmente do Punk/Crust, pode trazer novas inspirações muito interessantes e refrescantes. Visto que eu não sou mesmo letrista (só faço arranjos nos meus padrões de bateria) estou muito curioso e ansioso acerca da direcção que os ColdCell vão tomar a curto e a longo prazo.  No que diz respeito a outros projetos musicais tenho outra banda chamada Schammasch, talvez já tenham ouvido falar dela…..

9th Describe yourself in one word.   / Descrevem-se numa palavra

Seekerprogressorsearcherfinder. / Investigadorprogressorinquiridordescobridor

– aW

Advertisements
This entry was posted in Raio-XIS and tagged , . Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s