CANECAS FEST 2015 – Dia 2 – Sábado 25 de Abril

Logo antes do início dos concertos já se estava a prever um dia diferente a nível de afluência de público. Nesta segunda noite a casa encheu e os bilhetes foram mesmo todos vendidos.

Vindos de São João da Madeira, os As They Come, astheycome-2que entraram para o cartaz no dia anterior devido ao cancelamento dos cabeças de cartaz Serrabulho, foram os primeiros a subir a palco. Trouxeram o seu Stoner/Southern Rock que se rege segundo as regras do estilo. Nas suas músicas os Riffs, as letras e até o visual dos músicos transportam-nos para uma vila poeirenta algures no sul deserto dos Estados Unidos da América.

Lyfordeath foi a banda que se seguiu. LyfordeathInteressante abordagem à música extrema. Com um estilo muito próprio, somando influências de Thrash, Death e até Doom melancólico, a banda de Lordelo provocou boa impressão pela forma inesperada como funde os elementos constituintes dos seus temas.

O Death Metal avassalador dos survwalSurvive the Wasteland esteve perto de provocar um pequeno abalo na crosta terrestre em Paços de Ferreira. De forma coesa e precisa. executam os seus temas com um groove poderoso e perfeitamente acompanhado por um vocalista exímio na tarefa da qual se encarrega. Cláudio Moreira é um excelente performer com um registo vocal variadíssimo, depositando em cada tema uma dinâmica deliciosa.

O tom grave dos Drop D demonstrou ser a dropdafinação ideal para pôr toda a plateia do Canecas em constante movimento. A banda apresenta-se em palco com enorme à vontade e com um entrosamento notável entre elementos. Seja nas partes em que é a melodia que comanda, como nos momentos em que é o groove cavalgante que nos ataca, os Drop D estão em bom nível de conexão com a plateia.

O Hardcore também marcou presença neste Canecas Fest. Por via dos The Idyll’s End tivemos acesso a cerca de 40 minutos de agressividade musical. Com ritmos e refrões bem ao estilo dos grandes líderes deste movimento, o colectivo manteve-se coeso de início a fim. Deixaram no ar a sensação de que se se descolarem até certo ponto das suas grandes influências, poderão ter muito potencial na criação de bons momentos com mais identidade própria.

gc

A fechar a noite, os muito aguardados Destroyers of All foram de certa forma prejudicados já pela hora avançada a que entrarem em palco. No entanto, mesmo com o público já cansado de dois dias de festa e com a plateia a meio gás, os conimbricenses deram o seu melhor. A qualidade com que debitam os seus temas, que por si só são também portadores de uma mestria acima da média, demonstra a existência de muito trabalho e dedicação por parte do colectivo. São uma banda ainda “jovem” e com um enorme potencial. Aguardamos pelo lançamento do novo álbum e pela sua presença em palcos maiores pois vale a pena estarmos atentos a um dos novos valores emergentes do cenário de peso nacional.

doa

Não podemos terminar esta reportagem sem uma nota de apreço à Bulldozer on Stage, organizadora do evento e também a toda a equipa do Canecas Bar por se dedicarem, de alma e coração, à produção deste evento onde ao longo de dois dias se constatou o bom momento de forma que o cenário nacional de peso atravessa.

Lyfordeathpub-2

Até para o ano.

Emanuel Roriz

26-04-2015

Advertisements
This entry was posted in Reportagens. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s