XXXapada na Tromba 2019

28125889_1981314131897348_1837154102_o

Após uma edição de grande sucesso do festival, está na hora de vos revelar os novos nomes para a edição de 2019. A organização do XXXapada Na Tromba tem o prazer de vos anunciar que as bandas Meat Spreder, Grog, Serrabulho, Crepitation, Dehydrated, Hymenectomy, Rato Raro, Anihilation e Pornthegore se vão juntar ao cartaz. Este, que já conta com a presença de Gut, Prostitute Disfigurment, Brodequin, Cripple Bastards, Devangelic, Inhume, Tu Carne, Epicardiectomy, Fleshless, Analepsy, UxDxS, Satan’s Revenge on Mankind, Undersave e Monigo, promete dar o mote para uma edição que decerto irá superar por completo todas as expectativas!

Já começaram também a aceitar pré-reservas dos bilhetes para a próxima edição, sendo que os primeiro 100 estarão disponíveis num pack promocional de bilhete + tshirt por apenas  40 euros! Relembramos, no entanto, que o pagamento desta reserva será feito futuramente, numa data a revelar em breve pela organização. Para mais informações relativamente aos bilhetes enviem um email para:xxxapada.fest@gmail.com

Advertisements
Posted in Noticias | Tagged , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Leave a comment

Novidades de EnChanTya

28053837_10213596794061545_1644465184_nApós o lançamento de seu álbum de estreia pela Massacre Records, chamado “Dark Rising“, os Enchantya anunciam que a banda começou a gravar seu próximo álbum no dia 10 de Fevereiro, nos Pentagon Audio Manufactures Studios, com o incrível Fernando Matias (SINISTRO) no controle.

O novo álbum intitulado “On Light And Wrath” possui 11 faixas.

 

EnChanTya convidou Ricardo Oliveira (My Enchantment, Attick Demons) para gravar a bateria.

Mais notícias estarão disponíveis em breve.

Fonte: Enchantya

Posted in Noticias | Tagged , , | Leave a comment

LVHC a coesão no Underground Português

Mais um fim de semana, mais uma voltinha. 2018 chegou determinado a não nos dar descanso e ainda só estamos em inícios de Fevereiro. Desta vez a “carrinha de reportagem” da Loudness parou pelos lados de Linda-a-Velha, para acompanhar o festival organizado por um dos núcleos mais antigos e coesos do nosso underground musical.

O Linda-a-Velha Hardcore Fest apresentava novo cartaz recheado para os dias 26 e 27 de Janeiro, a acontecer na Academia Recreativa de Linda-a-Velha, e se há coisa de que esta organização se pode gabar é de conseguir apresentar de ano para ano alinhamentos que agradam a gregos e a troianos.

RoadScum-6

Dia 1

Escusado será dizer que o factor referido em muito contribui para o ambiente que ali se vive, e a primeira banda a actuar no festival foram os lisboetas Roädscüm, a abrir hostilidades com um feeling oldschool e atitude inconsequente de cigarro nos beiços, onde três vozes e guitarras afinadas fizeram os poucos parecerem muitos, ao acompanhar as partes mais catchy de temas como “Primal Call” e “Streets Of Decay.” Antes que pudéssemos entregar as nossas orelhinhas a satanás, pudemos presenciar um tributo a Lemmy e a uma incursão de guitarra no meio do público.

A segunda actuação do dia ficava a cargo dos Scum Liquor que trazem da Amadora o seu apetite por destruição e uma insaciável sede. Tem percorrido os palcos de norte a sul com a sua No Rehab Tour e a Academia de Linda-a-Velha não foi excepção. Encontraram um público a meio gás, mas a verdade é que algumas bandas têm a capacidade de fazer qualquer sala parecer cheia, e foi este o caso. Quem está, está, quem não está, estivesse.

BoobyTrap-5

Em representação de sonoridades nortenhas, foi altura de vermos os Booby Trap em palco e presenciar a estreia da banda naquele festival. Donos de uma energia e groove contagiantes, responsabilizaram-se por fazer mover os presentes e com a abertura de um mosh ainda tímido, apareceram também os primeiros destemidos no crowdsurfing. Foram curtas baladas dedicadas a amigos e restantes presentes, entre as quais se ouviu o tema “Nightmare” e uma cover de “Ace Of Spades.”

Os Theriomorphic apresentaram-se com a sua já conhecida formação e foram uns dos porta-estandartes do death metal oldschool no evento. Foi entre o equilíbrio minucioso entre a agressividade e a melodia que encontrámos o registo vocal dinâmico de Jó e João Duarte, combinado com alguns riffs de guitarras mais orelhudos. Numa performance coesa, revisitámos os clássicos e pudemos ainda ouvir um dos temas que virá a integrar o novo álbum da banda, com o título “Fire”, tocado pela segunda vez ao vivo.

Backflip-4.jpg

Num dia carregado de sonoridades mais pesadas, foi sem dúvida refrescante cruzar sentidos com os Backflip, que nos relembraram que os alicerces daquele evento ainda assentam no hardcore. No primeiro concerto do ano dado pela banda, aproveitou-se para disseminar a mensagem de que a união faz a força e que tanto as bandas como o público só têm a ganhar com a organização de eventos onde é possível ocorrer uma fusão de estilos e família. Com uma actuação forte não deixaram ninguém indiferente e prometem novidades para este novo ano.

De uma lista de bandas que se têm mantido bastante activas fazem parte os Sacred Sin, que mesmo contando com mais de vinte anos de carreira, demonstram bem que é possível uma constante reinvenção sem perda de identidade. Para além de nos apresentarem temas do seu mais recente trabalho “Grotesque Destructo Art”, continuamos a poder contar com alguns clássicos, bem como algumas surpresas, como foi o caso da apresentação de um novo membro e guitarrista.

Os Dr. Bifes e os Psicopratas fecharam o dia com um espírito mais descontraído e uma atitude irreverente, tão bem acompanhada pelos seus trajes e caracterizações. A primeira dica foi para que nos chegássemos à frente para que se perdesse a ideia de que estávamos num baptizado, e a partir daí perdemos-nos entre piadas, balões e algum stagedive.

Dia 2

O segundo dia avizinhava-se ligeiramente mais caótico, uma vez que olhando para o cartaz se podia reconhecer um certo regresso a casa, com bandas conhecidas e um tom definitivamente mais hardcore.

Com Somber Rites pudemos contar com algumas caras que não nos são de todo estranhas no meio, embora ocupem normalmente posições ligeiramente diferentes, como é o caso do vocalista. Os cinco membros deste recente projecto, já com bastante potencial, aproveitaram para nos dar a conhecer alguns temas e deixar a mensagem de que ainda têm muitas cartadas na manga para este percurso que agora começa.

PatrulhaDoPurgatorio-13.jpg

Do Algarve a Lisboa vieram os também já nossos conhecidos Patrulha do Purgatório e o seu repertório continua a fazer os presentes acompanhar letras de que se continuarão a lembrar uma semana depois. O movimento na sala continuou ao som de temas como “Enterrado na Loucura”, “Na Minha Terra” e “Lisboa a Arder”, sobrou espaço para um pequeno tributo a Mata-Ratos e a participação de uma voz convidada.

A terceira banda do dia foram os Doink, também eles vindos de norte e com vontade de encher os ouvidos presentes de música pirata. Apresentaram a sua sonoridade num registo diferente, com uma atitude, letras e sobretudo voz sendo rapidamente associadas à vida nos subúrbios. Sem desistir de um público que por vezes se demonstrou público, lá conseguiram pôr os presentes a acompanhar um ou outro tema.

LastHope-2.jpg

Entre pausas para convívio, acompanhado de comida e bebida, no piso de baixo da Academia de Linda-a-Velha, chegava a hora de assistirmos ao regresso dos Last Hope. Longe dos palcos durante dois anos, a banda apresentou-se com garra, num regresso em forma mesmo com o vocalista com um braço ao peito. Rapidamente se demonstrou que se sentiam em família, tanto pelas dedicatórias de alguns membros como pelo número de pessoas que acompanhavam as suas letras, deixando também a mensagem de que em breve teriam novidades para os fãs.

Os Alien Squad são uma banda de Leiria e contam já com mais de 25 anos de carreira. Pegaram em temas dos seus três álbuns lançados e marcaram a diferença naquele dia com uma sonoridade mais thrashy. O público continuou a responder bem e as movimentações na sala, embora tímidas, lá continuaram.

Grankapo-7.jpg

Caso ainda não tivesse ficado claro, é com estes eventos que se prova que o que não falta em território nacional são excelentes bandas e que é o espírito de entreajuda entre as pessoas do meio, artistas e público, que se mantém a cena viva. Nada melhor do que guardar para o fim a actuação de Grankapo para nos recordar isso mesmo. Já bem conhecidos pela comunidade hardcore, não só se fazem acompanhar por uma forte base de fãs, como não deixam esmorecer a vontade e atitude necessárias para recrutar mais alguns. A música é dura, mas feita para a “família” e foi sobretudo nestas actuações mais tardias que ainda se revelou o fôlego dos presentes.

Trinta&Um-19.jpg

Como não podia deixar de ser, o encerramento deste LVHC voltou a estar a cargo dos Trinta & Um, banda que se dedica à organização deste evento ano após ano. Foi claro que a banda continua a ser a mobilizadora de muita gente que ali se desloca e no caos, que durou do início ao fim, perdeu-se a timidez do público e o stagedive não arredou pé. Foi então esta a nossa oportunidade de participar nas celebrações dos 20 anos de “O Cavalo Mata”, com muito discurso por parte de Zé Goblin, onde continua a ser clara a mensagem de protesto e ao mesmo tempo de união. Entre sinceros agradecimentos a todos os presentes e membros da banda quase se verteu uma lágrima, e foi impossível ficar indiferente ao espírito que ali se vive. Determinados a não deixar de pé o que quer que fosse que tivesse sobrado da festa, entregaram-nos mais uma hora de punk hardcore português à séria e a promessa de um LVHC 2019. Saímos de alma renovada.

Galeria Completa AQUI

Texto de Andreia Teixeira
Fotografias de Andreia Vidal

Posted in Fotografias, Reportagens | Tagged , , , , , , , , , , , , , , , , | Leave a comment

WOODROCK FESTIVAL adiciona 3 bandas nacionais ao seu cartaz

unnamed (2).jpg

O WOODROCK FESTIVAL regressa em 2018 à Praia de Quiaios, na Figueira da Foz.

Woodrock Festival continua a compor o cartaz da sua 6ª edição, confirmando agora 3 projetos nacionais, em fases distintas dos seus percursos musicais.

A longevidade militante dos RIDING PÂNICO, a afirmação segura dos EARTH DRIVE e a descoberta refrescante dos NU, juntam se aos 4 nomes anteriormente revelados, completando metade do line up final de 14 bandas.

Os passes gerais têm agora e até dia 31 de Março, o valor de 21 euros, podendo ser adquiridos nos locais habituais e online em https://woodrock.bol.pt.

Garantem o acesso gratuito ao Parque de Campismo de Quiaios e a um desconto no acesso à Piscina de Quiaios.

VEM,PARA DESCOBRIR!!!!!

As datas para mais esta edição do festival são os dias 19, 20 e 21 de Julho.

A NOSSA PRAIA É O ROCK!!!!

Fonte:  Woodrock Festival

Posted in Noticias | Tagged , , , | Leave a comment

Guano Apes segunda confirmação no North Music Festival

unnamed.jpg

unnamed (1).jpg

Fonte: VIBES & BEATS

Posted in Noticias | Tagged , , | Leave a comment

Billy Lobster novo vídeo para ‘Desert Song’

unnamed (1)

Um ano após o lançamento do seu primeiro trabalho de estúdio, dia 3 fevereiro, Billy Lobster apresenta vídeo para o tema Desert Song.

Boogie on the Fly é notoriamente composto por um “gajo do blues”, nas palavras da magazine Arte Sonora. Pavel Racu nasceu na Moldávia acabando por se mudar para Portugal com 17 anos de idade.

O vídeo para Desert Song foi filmado e produzido na fria Serra da Gardunha com um cenário a condizer com a mensagem do tema, o deserto. Este fala da serenidade e do aconchego que o ser humano tem tendência para procurar no fim de vida, seja lá como ele for perspectivado.

O artista irá também actuar no Oh Lee Music Showcase, no dia 15.02

Fonte: Oh Lee Music

 

Posted in Noticias | Tagged | Leave a comment

Raio-XIS visita em pormenor – The Blacktones

De volta aos Raio-XIS e desta feita da bela Cagliari, em Itália, para trazer em pormenor The Blacktones

23434767_1926329727384710_3538082244504770314_n.jpg

1. Qual o vosso percurso musical?

Olá, entrevista respondida pelo Aaron! Todos nós viemos da cena de metal da Sardenha, tocamos e ainda o fazemos em diferentes outras bandas ao longo dos anos. Gianni e Sérgio formaram The Blacktones em 2011 e nos juntamos-nos a eles em tempos diferentes, de facto, chegamos a esta formação com a chegada de Paolo apenas em 2016.

2. Como classificam o vosso projecto musical?

Não nos sentimos muito confortáveis com rótulos, mas podemos dizer que nosso álbum é um registo de “sludge” metal, com várias influências.

3. Quais são as vossas referências musicais?

Somos bastante influenciados pelos anos 90, Pantera, bandas grunge, Tool e assim por diante. Tentamos interiorizar tudo o que ouvíamos do passado com as novas tendências, tentando criar algo que podemos chamar de estilo próprio.

4. Quais os vossos filmes e livros favoritos?

Nós temos gostos diferentes em filmes e livros, e isso acabou por inspirar as nossas letras, especialmente neste registo. A música que dá o título do álbum, por exemplo, é inspirada no filme “Omega Man” dos anos 70, mas há outras referências dentro do nosso novo registo.

5. O que mais gostam no mundo como artistas?

“Faça músicas e toque-as ao vivo!”
Nós realmente apreciamos as nossas fases criativas na sala de ensaio, e nós realmente gostamos do que eles se tornam após esse processo quando os realizamos no palco.

6. Se a vossa música pudesse mudar algo na mente das pessoas, o que gostariam que fosse?

Ah, nunca pensamos nisso. Nós escrevemos música para dizer algo, mas nunca foi para mudar as crenças dos nossos ouvintes. Em vez disso, esperamos deixar algumas memórias e impressões ao ouvir, como uma jornada que você fez meses atrás e às vezes volta a sua mente

7. Onde gostariam de tocar ao vivo?

Estamos acostumados a actuar em lugares pequenos, mas também gostamos de espaços maiores. Pode mudar a conexão entre nós e a multidão, mas ainda é divertido!

8. Quais os vossos projectos futuros

Ainda estamos a promover o novo álbum, estamos a trabalhar numa mini tour em Itália no primeiro trimestre deste ano e a preparar um video oficial do registo. Logo vamos anunciar algo sobre isso!

9. Descreve-te em uma palavra.

“Noncausal”

 

 

Posted in Raio-XIS | Tagged | Leave a comment