Angelus Apatrida + In Chaos + Toxikull @ RCA Club, 2017

 

Fotos de Jorge Pereira Photography In Motion
Galeria completa AQUI

Posted in Fotografias | Tagged , , , , , , | Leave a comment

Cold Steel Device lançam “Confusion Of Desperation”

COLD STEEL DEVICE ESTREIAM-SE COM “CONFUSION OF DESPERATION” DIA 30 MAIO

O tão esperado single de avanço para o futuro EP “Aurum” dos Portugueses de Groove Metal Cold Steel Device “Confusion Of Desperation” será editado no canal Youtube oficial da banda com um videoclip oficial no próximo dia 30 de Maio, 2017!

16508578_1635341886478090_489417369618770185_n

“Confusion Of Desperation” é música que marca a nova era desta grande banda nacional! Gravada, misturada e masterizada nos Sound Pressure Studios em Algés, Lisboa, o groove metal desta banda proveniente da zona de Lisboa vai contagiar o mais desatento! O videoclip oficial foi realizado e produzido pelo conhecido Manel Portugal e vai estar disponível para download no bandcamp oficial da banda!

Com influências musicais tão dispares como o death metal e metal industrial dos Norte Americanos Fear Factory, ou o groove metal dos Pantera até ao metal progressivo dos Dream Theater ou o post-hardcore dos Nova Iorquinos Glassjaw, os membros fundadores dos Cold Steel Device juntam-se em 2005 em Moscavide, Lisboa e começam por fazer a fusão de todas estas influências sem regras ou limites. 2017 vê o ponto de viragem para os Cold Steel Device que neste momento são constiuídos pelo Cláudio Santos na voz (fundador), Hugo Sá na guitarra (fundador), Bruno Vieira na bateria (fundador) e o André Ferreira no baixo! Estão neste momento a trabalhar com os Sound Pressure Studios Management e planeiam a gravação do seu primeiro registo profissional em formato EP composto por 4 músicas originais e já com título, “Aurum”!

Tendo a discriminação e injustiças sociais como tema central para a construção das futuras músicas os Cold Steel Device estão convictos que o futuro próximo vai ver a banda crescer internamente como também no panorama musical Português!

Posted in Noticias | Tagged , | Leave a comment

NOVA MÚSICA DE SCARMIND “CHANDELIER”

Após o lançamento do EP de estreia “Newborn” em Novembro passado, “Chandelier” marca o princípio de uma nova fase sonora dos sintrenses hard rockers Scarmind, com um videoclip fantástico!

13770513_1031053403616289_1519689707422050917_n.jpg

“Chandelier” é sem dúvida uma explosão energética de som e imagem onde os Scarmind impõem toda a sua melodia e riffs rasgados com uma voz à altura das expectativas de quem conhece este hit pop electrónico da fantástica Sia!

Dia 01 de Junho, 2017, os Scarmind vão lançar esta nova música no seu canal oficial do youtube com um vídeo realizado e produzido por Rui Balão Audiovisuais (actual guitarrista da grande banda que faz tributo aos AC/DC, os DA/CA) com a música gravada, misturada e masterizada por Leopoldo Lopes, nos Sound Pressure Studios.
“Chandelier” marca o começo da nova era sonora dos sintrenses hard rockers Scarmind após o lançamento do EP de estreia “Newborn” em Novembro de 2016 e uma tour de promoção que passou por vários palcos da zona de Lisboa!

Provenientes da zona de Sintra, os Scarmind destacam-se por tocarem um Hard Rock melódico com riffs pesados e harmonias vocais provenientes das várias influências do Rock Alternativo e Metal Alternativo como Alter Bridge, Metallica, Avenged Sevenfold, Bon Jovi, Pearl Jam, Guns N’ Roses, 5 Fingers Death Punch, entre outras. A banda actualmente é composta pelos guitarristas e vocalistas Márcio Belezas e Quim Ventura, pelo baixista Vasco Alves e pelo baterista Luís Paulino. Com objectivos muito definidos, os Scarmind pretendem dar a conhecer a sua música como também a partilha do Rock Português de outras bandas pelos vários palcos onde vão pisando. Já passaram por vários palcos até à data, como a Marina da Expo, Insanity Rock Fest, It’s All About Rock Le Baron Rouge – Rock Hangar, Rock Theatre, Festival Ourearte em Ourém, Penicheiros no Barreiro, Stairway Club, Fnacs Alegro e Almada Forum, entre outros partilhando o palco com várias bandas como os Witness My Fall, Sunya, In Chaos, One Last Call, Royal Blasphemy entre muitos outros.

Vão estar presentes no próximo dia 03 de Junho no 2º Vialonga Fest, Em santa Eulália, Vialonga e prometem muita energia, boa disposição e uma festa inesquecível ao rock!
2018 promete um novo trabalho, desta vez de longa duração, onde a marca sonora dos Scarmind vai deixar rasto dentro do panorama nacional!

“Os objectivos dos Scarmind não passam por só divulgar o seu próprio trabalho mas também dar oportunidade a outras bandas portuguesas de poderem mostrar o seu trabalho e criar mais união e entre-ajuda entre as mesmas! Por este motivo, organizamos todos os anos o festival “It’s All About Rock” que este ano já vai na segunda edição e aconteceu nos Nirvana Studio! Para o ano há mais!”

– Scarmind

Posted in Noticias | Tagged , | Leave a comment

RAVENEYE NA PRIMEIRA PARTE DE AEROSMITH DIA 26 DE JUNHO EM LISBOA

unnamed.jpg

RavenEye é a banda convidada pelos Aerosmith para abrir o concerto que terá lugar próximo dia 26 de junho em Lisboa. A banda de rock britânica estreia-se em terras lusas com o objetivo de apresentar o primeiro álbum de estúdio “Nova”, editado em 2016, que num curto espaço de tempo já conquistou excelentes críticas por parte da imprensa especializada.

A banda é formada por Oli Brown (voz e guitarra), Aaron Spiers (voz, baixo e guitarra) e Adam Breeze (bateria).

Um evento Everything Is New

Posted in Noticias | Tagged , , | Leave a comment

O Inferno de Sintra nos Nirvana Studios

Burn Damage-30.jpg
Esta provavelmente será uma das mais dificeis reports que terei de fazer, não é novidade para ninguém, pelo menos penso eu, do carinho que nutro pelo Hell in Sintra e pelo esforço herculeo que é feito ano após ano para que o mesmo se realize. É preciso acima de tudo pensar nisso antes de sairmos com criticas destrutivas que não levam a nada, este ano não correu tão bem como seria esperado, mas acredito que mais que qualquer um de nós o sinta, ninguém o sente mais que a organização, em especial o Claudio que tanto luta para fazer desta uma celebração da música e das bandas tantas vezes esquecida em Portugal. Os erros servem principalmente para que se aprenda com eles e para que tenhamos manobra para os melhorar no futuro. Peço acima de tudo que tenham isso em consideração e que não abandonem o evento fazendo da vossa presença um facto confirmado no próximo ano.

Posto isto e “as gajas” sabem bem o “inferno” que é a depilação a cera vamos lá “arrancar” de uma vez os pontos menos bons do Hell In Sintra deste ano:

Um deles foi sem dúvida os dois palcos existentes, que se por um lado fez muita gente perder o norte entre lá e cá, chegando a perder parte das actuações, para quem estava por lá a fotografar e reportar foi pior ainda, se juntarmos a isso os atrasos e as trocas de bandas e actuações pior ainda, como devem imaginar.

Correia-10.jpg

Poderá também ter sido isso que levou a um agravar de desorganização a nível de controle de tempo de e entre actuação que levou inclusive a que Sacred Sin não actuasse, tendo sido provavelmente o “balde de água fria” deste ano no  HIS, já muito se falou e opiniou sobre este caso e por mim o assunto fica como está, não vale a pena bater em ferro frio.

Senti falta do convivio existente no campo de futebol, mesmo com o vento e o pó no ar, o facto de se puder assistir as bandas enquanto se comia alguma coisa e se conversava no exterior torna tudo muito mais acolhedor (por estranho que pareça). Os Nirvana são um local muito agradavel tanto a nível de instalações como a nível de pessoal e a oferta da comida é variada e muito boa mas, no meu ver, não para um evento com tantas bandas e de actuações tão seguidas.

Agora verdade seja dita o evento é para e sobre o underground musical, e o pessoal que se deslocou para lá ia pela música, por isso vamos lá falar das bandas que é para isso que a malta vai ver festivais:

Impera-7

Dia 12:

Infelizmente por motivos profissionais não assisti ao concerto de Impera e Okkultist, mas não deixei de falar com a nossa fotografa que teceu elevados elogios as duas bandas, embora com o terminar abrupto de Impera, pelo que me foi possível indagar foi um belo começo de festival, Booze Abuser que substituiram Paranoid subiram a seguir ao palco do Le Baron Rouge, iguais a si mesmos e com direito a um cheirinho à capela de Rehab, defenderam bem a sua autointutilação de Alcoholic thrash/punk, temas como Pyro demostram a sua capacidade em palco e terminaram as actuações da noite por lá, pelo menos até o after party.

Burn Damage deram o mote a seguir no Custom Café e festa a duplicar (já que era o aniversário de Ivo Duraes o guitarrista da banda), temas como Fire Walk With Me (música nova), Acid Rain, demostram bem a magnitude da sua presença em palco. A actuação terminou como seria de esperar com os parabéns de todos os presentes a Ivo.

Her Name Was Fire, com o seu álbum de estreia lançado em Fevereiro foi para mim a surpresa da noite um stoner rock muito agradavel com riffs orelhudos que prendem a atenção sem ser preciso grande esforço. Uma banda a estarmos atentos com toda a certeza.

Karbonsoul-16

Alteração no horário com Correia a actuar antes de Miss Lava. É sempre muito bom assistir aos irmãos Correia em palco, a sua presença e música deixa sempre um gosto de quero mais. A noite terminou com a actuação de Miss Lava, já pouco ou nada há a acrescentar há sempre efusiva presença da banda em palco e prolongou-se com o after party.

Dia 13:

O dia iniciou no Le Baron Rouge com a estreia de All Against, que com o entusiamo prolongaram em demasia a sua actuação, não que a malta não estivesse a curtir, a banda tem uma forte presença em palco, mas pelo menos para mim que apartir daí tive de andar a correr entre palcos acabou por me baralhar um pouco a capacidade de observação das restantes bandas o que peço desde de já desculpa as mesmas.

11th Dimenson  actou de seguida no Custom Café regressada as lides do HIS depois da última actuação em 2014, e estava feliz por isso, a vocalista Diana Rosa é sempre de uma beleza e simpatia indescritivel o que por si só torna um prazer assistir a sua actuação se juntarmos a isso a musicalidade da banda e o uso do sistema  wah-wah em anel (o mesmo sistema usado por Herman Lee de Dragonforce),pelo baixista torna tudo ouro sobre azul, um momento de extrema beleza no festival que deveria ser infernal.

Miss Lava-12.jpg

Fortune Teller (Le Baron Rouge) e Stonerust (Custom Café) foram as bandas que se seguiram, e por motivos mais que óbvios de escolha nada isenta, perdi a actuação da primeira em detrimento da segunda, as minhas desculpas por isso.

Bruno Vale (vocalista de Stonerust) é sempre uma presença fabulosa em palco e actuação da banda esteva a altura do festival, temas como Men in Pig (abertura), Suicid Girl, My Only God Is Dead, entre outros fizeram as delicias dos presentes, pena não ouvir o Bruno a cantar na lingua mãe, mas já na altura se estava atrasado em relação aos horários e a actuação foi encurtada.

Toxikull, Karbonsoul e Roadscum foram as três bandas que actuaram de seguida e que novamente por motivos pessoais não consegui assistir, peço desculpas e fico a dever uma reportagem a maneira, assim que a mesma se proporcionar.

Voltei aos Nirvana a tempo de assitir a actuação de Burned Blood e ainda bem , é sempre bom puder ver in loco os pezinhos desnudados de Claudio Melo e a força da actuação, assim como entrega poderosa que impera na banda.

Primal Attack-24

A partir daqui e de forma a não baralhar actuações já que as novas alterações nos horários me baralharam um pouco as notas tivemos as actuações de Legacy of Cynthia (com a sua maravilhosa entrega, “os miudos da garagem” continuam a dar que falar e ainda bem), The Temple (com o seu poderoso punk, hardcore), Primal Attack (sempre fortes), Test, Quinteto Explosivo (a substituir Sinister) e Vizir.

No resumo, o Hell In Sintra sempre foi uma consagração à musica e às bandas e este não foi uma execpção, verdade que houveram situações a lamentar, mas também é verdade que devemos não nos esquecer da entrega sempre presenta de quem sempre o organizou.

A todos sem excepção o nosso muito obrigada pela forma como somos sempre recebidos, pelas conversas e gargalhas e abraços sentidos.

Para a equipa da Loudness o Hell In Sintra continuará a sermos nós.

Até para o ano!

Galeria fotográfica completa AQUI

Texto: Paula Marques
Fotos: Andreia Vidal

 

Posted in Fotografias, Reportagens | Tagged , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Leave a comment

MESS FEST – O ROCK MORA AQUI!

18519506_795499493960129_7156992955915594302_n.jpg

A Associação Cultural UUIVUH apresenta a primeira edição do Mess Fest, festival de música rock que promete aquecer o início do verão Algarvio.
Este festival realizar-se-á a 24 de Junho de 2017 nos Armazéns Ramiro Graça Cabrita, em Messines, concelho de Silves. Com um cartaz de 8 bandas, das quais se destaca a mítica banda do punk português, os Mata Ratos, que comemora em 2017 os seus 35 anos de carreira, o festival contará também com Correia, banda onde militam os irmãos Poli e Mike (Sam Alone / Men Eater), que lançou em 2016 o seu álbum de estreia “Act One” e que prometem um concerto intenso de puro rock’n’roll.

As propostas musicais continuam com os My Master The Sun, banda de sludge/doom que virá apresentaro seu mais recente álbum “A Arte da Desobediência” que lhes valeu a presença em várias listas especializadas como um dos melhores discos de 2016. Os Prayers of Sanity, poderosos trashers algarvios, estarão também presentes na 1ª edição do Mess Fest e irão com certeza ‘destruir’ o palco, tendo como arma o seu último trabalho “The Unknown”.

O cartaz apresenta mais quatro bandas algarvias: os Villain Outbreak, que disparam o seu Metal Core não deixando ninguém indiferente, sendo conhecidos pelas suas explosivas actuações ao vivo; os Fuzz Buzz, banda que cruza estilos que vão do garage ao doom, passando pelo stoner, sempre com eficácia e que vêm apresentaro novo EP ‘Wicked Wizard’; Os Cloudleaf, que nos trazem uma proposta musical assente no seu post-rock ‘espacial’, numa viagem instrumental que raia o psicadelismo. A iniciar o evento,teremos os Anarchy Machine, banda de portimão que vem apresentar o seu indie rock baseado no seu mais recente lançamento, “Kubler”.

As portas do evento abrem às 14h30m e os concertos terminam à 01h00m do dia seguinte.
O bilhete será 10€. A organização conta também com o apoio estreito da Junta de freguesia de São Bartolomeu de Messines.

Posted in Noticias | Tagged , , , , , , | Leave a comment

Raising Legends lança 2 albuns no mesmo evento

18578868_1731669673514781_2085127980_n.png

Os Urban War e os Final Mercy ESTÃO DE VOLTA aos palcos e AMBOS com NOVO álbum.

Duas bandas do Porto que contam com mais de 10 anos de carreira decidem voltar a dar que falar e regressam com novo álbum.
Para tornar este regresso ainda mais épico ambos os lançamentos vão ser apresentados na mesma noite pela mão da Raising Legends
Dia 2 de Junho no CAVE 45 é o grande regresso destes dois grandes nomes do metal nacional e como convidados de honra teremos os In Vein que se encontram na fase promocional do seu novo álbum, Resurrect e ainda um convidado a anunciar.

Ouve os singles de estreia e encomenda já o teu cd com bilhete aqui:

Urban War : https://raisinglegends.bandcamp.com/…/urban-war-flesh-upon-

Final Mercy : https://raisinglegends.bandcamp.com/alb…/final-mercy-revival

Segue o evento aqui: https://www.facebook.com/events/779535168880712/

Posted in Noticias | Tagged , , , , , | Leave a comment